Pesquisar
Close this search box.

ENERGIA SOLAR

Gere sua própria energia

O sol brilha para todos! Por isso, a Rudnik acredita que todos também podem se beneficiar da energia solar.

Os cenários de aplicação dos sistemas de energia solar são bem variados, mas podemos dividi-los pelo modo como interagem com a rede elétrica local e em que tipo de propriedade são instalados.

Tipos de instalação

O sistema de energia solar pode ou não estar conectado com a rede de energia elétrica local, ou a um banco de baterias. Por isso, primeiro dividimos as instalações de energia solar em três tipos:

Off-grid (fora da rede): são sistemas que não estão conectados a rede local de energia, ou seja, não enviam energia de volta para a companhia local, e portanto, não recebem crédito energético para usar quando o sistema não consegue gerar energia. Este tipo de instalação é usado principalmente em lugares isolados sem acesso a uma rede de energia elétrica, como fazendas.

Os sistemas off-grid podem ser complementados com bancos de baterias, para armazenar a energia e usá-la durante períodos em que não há geração de energia. Para aprender mais sobre bancos de baterias, suas vantagens e desvantagens, confira nosso blog.

On-grid (conectado a rede): são sistemas conectados a rede de energia local. Este tipo de sistema pode enviar energia de volta para a rede elétrica, gerando créditos que podem ser usados para descontar parte do valor da fatura de energia. Assim, este sistema empresta energia para a concessionária local, sendo ‘devolvida’ durante os períodos em que há pouca ou nenhuma geração de energia solar, como dias chuvosos ou durante a noite. Dessa forma, o proprietário não perde nem energia, nem dinheiro!

Neste tipo de sistema, o relógio medidor de energia é trocado para um modelo bidirecional, que não só recebe energia, mas também envia energia de volta para a rede elétrica, além de realizar a medição tanto da energia gerada pelos painéis fotovoltaicos como da energia recebida da rede elétrica.

Para entender melhor como funciona o sistema de créditos de energia, leia nosso artigo sobre como funciona a energia solar

Sistema híbrido: alguns sistemas precisam estar conectados a rede, mas ainda se beneficiam em usar um banco de baterias. Os sistemas híbridos fazem exatamente isso — podem decidir quando usar a energia produzida diretamente na propriedade, quando enviá-la para a rede de energia e quando usar a energia para recarregar o banco de baterias. Para a recarga, o sistema híbrido pode usar tanto a energia da rede elétrica quanto a energia gerada pelos painéis fotovoltaicos.

Os sistemas híbridos oferecem grande flexibilidade e independência, sendo especialmente úteis em propriedades sem acesso à rede elétrica — como é o caso de algumas propriedades rurais — bem como lugares onde há frequentes quedas ou cortes no fornecimento de energia.

Energia solar residencial

Este tipo de sistema costuma ser menor e mais leve, já que o consumo de uma residência tende a ser bem menor do que o de uma indústria ou fazenda. Por conta disso, o telhado da casa costuma ser uma estrutura grande e forte o suficiente para a instalação das placas fotovoltaicas. Isso torna as instalações residenciais simples, permitindo que cada vez mais pessoas tenham acesso a esse benefício. 

Os sistemas de energia solar para residências oferecem grande economia na fatura de energia ou até mesmo independência da rede local de energia elétrica no caso de sistemas com banco de baterias. Sua instalação é simples e rápida, sendo executada em poucas horas por profissionais da área. A energia solar residencial também é silenciosa e reduz o uso de energia gerada de formas que danificam o meio ambiente. Todos esses benefícios ainda tornam a residência mais desejável, aumentando o valor do imóvel.

Qualquer telhado pode receber placas solares fotovoltaicas?

Resposta curta: não. As placas têm um peso considerável. E elas não se mantém sozinhas no telhado. São necessárias estruturas de fixação, geralmente metálicas, que adicionam mais peso na equação. Essas estruturas também colocam as placas na inclinação certa para melhor aproveitamento da luz do sol. 

Em geral, telhados de telhas de barro tem estruturas fortes o suficiente para suportar as placas. Já telhados de eternit ou telhas metálicas podem não dar conta do recado. 

Mas não dá para confiar em uma suposição generalizada. Se algo der errado por conta da estrutura do telhado, o proprietário não só pode perder seu sistema solar e seu telhado, mas acima de tudo, alguém pode se ferir.

Por isso, recomendamos fortemente que um perito avalie o telhado da sua propriedade antes de instalar um sistema de energia solar.

Granizo pode danificar as placas solares?

As placas solares fotovoltaicas evoluíram muito. É verdade que o material dentro delas — o silício — é bem frágil, e placas mais antigas sofriam graves danos com chuvas de granizo. Mas atualmente, as placas recebem escudos contra essa ameça: vidro temperado de até 3,2 mm de espessura.

Esses escudos são projetados para suportar bem mais do que acontece normalmente na natureza. Algumas placas suportam pedras de granizo viajando a até 500 km/h! Além disso, o ângulo em que as placas são instaladas impede impactos diretos, reduzindo mais ainda a chance de danos. 

Portanto, não há necessidade de se preocupar com que suas placas sejam danificadas por granizo. A chance de que isso aconteça é muito baixa.

Apartamentos: podem aproveitar a energia solar?

A instalação é possível, mas não costuma valer a pena. A resposta pode se tornar ‘sim’ caso seja possível instalar placas solares na cobertura do prédio. Mesmo assim, conseguir autorização para isso e passar os cabos de energia até o apartamento podem ser tarefas muito complicadas. Muitos prédios têm cobertura com laje, aumentando o custo e peso de instalação, já que como as placas precisam estar inclinadas, será necessário construir uma estrutura adicional abaixo delas. Outro ponto que dificulta as coisas é o tamanho da laje ou telhado do prédio, que não costuma ter uma grande área, permitindo uma quantidade pequena de placas. 

Provavelmente o melhor proveito que um prédio pode fazer de um sistema de energia solar seja para fornecer energia aos sistemas de iluminação das áreas comuns, como corredores, halls e jardins. Nesse caso, a iniciativa parte do dono do prédio ou de uma ação conjunta dos moradores.

E a partir da sacada ou varanda do apartamento?

Nesse caso definitivamente não vale a pena. A sacada de um apartamento dificilmente recebe luz solar o suficiente para gerar uma quantidade satisfatória de energia. Além disso, as placas fotovoltaicas ocupariam maior parte da varanda ou sacada, a instalação seria difícil e permitiria apenas um número bem pequeno de placas.

Como fica a instalação de placas que não sejam em telhados?

É possível instalar placas solares em estruturas construídas especificamente para esse propósito. Isso permite instalar quantidades muito grandes de placas, gerando muita energia. 

Mas há uma ressalva: este tipo de instalação tem regras próprias e impostos próprios. O ponto é que ao instalar placas fotovoltaicas dessa forma, o proprietário está, na verdade, construindo uma usina de energia solar. Por isso, o projeto precisa de licenciamento ambiental e sofre fiscalização e taxas mais rigorosas.

É por causa desse detalhe que alguns estabelecimentos constroem galpões simples ou estacionamentos cobertos para possibilitar a instalação de placas fotovoltaicas de forma descomplicada, já que as regras das usinas solares não se aplicam a este tipo de instalação.

Para saber mais sobre a legislação vigente que afeta a construção de usinas fotovoltaicas, confira nosso blog.

Energia solar agrícola

As propriedades agrícolas têm uma relação íntima com o sol. Elas dependem dele para produzir plantas, tanto como produto final quanto para alimentar animais. Então por que não aproveitar um pouco mais e usar a luz do sol para garantir a produção, aumentar os lucros ou obter independência energética?

Garantia na produção

Qualquer propriedade rural pode se beneficiar da energia solar. Alguns dos principais problemas nesse tipo de propriedade estão relacionados com o clima, como épocas quentes e secas. 

Veja algumas situações:

Durante as épocas mais quentes, plantações podem precisar de irrigação. Esse processo exige bombeamento e até filtragem da água, consumindo energia. Quanto mais quente, mais água é necessária, e consequentemente, mais energia. Imagine também um produtor de laticínios que precisa manter seus produtos refrigerados. Mais uma vez, quanto mais quente, mais energia é necessária para manter tudo frio.

Outro problema relacionado com energia em propriedades rurais é a falta dela. Produtores de tabaco têm muitas preocupações com o fornecimento de energia, que facilmente falha na época da secagem por conta da alta demanda. A secagem do tabaco é realizada por calor vindo de fornalhas, controlado e espalhado pela estufa de forma eletrônica. Quando há uma queda no fornecimento, especialmente em um dia quente, a temperatura na estufa fica muito alta e facilmente se inicia um incêndio, causando grande prejuízo ao produtor.

Em todas essas situações temos uma desvantagem que se torna uma vantagem por meio da energia solar. Quanto mais sol, mais crítica a situação; porém, maior é a geração de energia, usada para resolver o problema. Então, quanto maior se torna o problema, mais energia o proprietário tem para lidar com ele!

Aumento do lucro

Apesar de as tarifas de energia elétrica em zonas rurais diferirem das tarifas em zonas urbanas, muitos agricultores ainda tem gasto expressivos com energia. É o caso dos agricultores na região da sede da Rudnik, onde o cultivo de tabaco é comum. Para secar as folhas de tabaco, é necessária muita energia. Facilmente são gastos alguns milhares de reais ao longo da época de secagem apenas em energia elétrica.

A adição de energia solar reduz significativamente os gastos com energia em poucos anos. É bom lembrar que a época de secagem acontece no verão, quando a luz do sol é forte e os dias são mais longos, aumentando a geração de energia elétrica.

Independência da rede elétrica

Sistemas de energia solar também permitem a independência energética de propriedades rurais. Essa independência é especialmente útil para propriedades em lugares isolados ou que não tenham acesso a uma rede de energia elétrica.

É claro que como essa forma de energia depende da incidência de luz solar, essas propriedades podem não ter energia suficiente em dias nublados ou chuvosos, e nenhuma energia durante a noite. A independência total exige um banco de baterias para armazenar parte da energia gerada ao longo do dia para uso noturno, o que também exige um dimensionamento maior da potência instalada — a quantidade de placas gerando energia.

Atualmente, bancos de baterias são mais acessíveis, mais duráveis e exigem menos manutenção do que no passado. Um ponto negativo, porém, é o custo. Para saber mais sobre vantagens e desvantagens dos bancos de baterias ou sobre inversores híbridos, dê uma olhada em nosso blog.

Energia solar industrial

Qualquer processo industrial exige energia. Alguns deles consomem quantidades impressionantes, se tornando uma preocupação tanto para os fabricantes quanto para governos e organizações do meio-ambiente. A energia solar pode solucionar vários problemas desta natureza.

Fabricação ecologicamente correta

O consumo de energia das indústrias pode fazer com que produtos pensados para não afetar o meio ambiente, como recicláveis ou biodegradáveis, ainda não sejam sustentáveis devido à quantidade de energia necessária para sua fabricação. Muitas vezes essa energia é gerada por meios poluentes ou que afetam profundamente o meio ambiente, como queima de combustíveis fósseis ou usinas hidrelétricas. 

A energia solar resolve esse problema, fornecendo energia de fonte limpa e infinita por décadas.

Conveniente

A instalação de energia solar em indústrias costuma permitir uma grande quantidade de placas fotovoltaicas, devido aos grandes telhados e coberturas dos galpões industriais. Indústrias ainda podem aproveitar coberturas de estacionamentos para a instalação de placas fotovoltaicas. 

A maioria das indústrias também tem seu pico ou período de consumo de energia ao longo do dia, enquanto o sol brilha fornecendo energia. Com isso uma fábrica pode ter maior parte ou até a totalidade da energia que consome vindo de geração própria, de fonte limpa e econômica.

Competitivo

Como o consumo de energia industrial é alto, a redução dos gastos com energia elétrica proporcionada pela energia solar se traduz em uma grande redução no custo de produção. Isso permite trabalhar com maior margem de lucro ou tornar os preços mais competitivos. De qualquer forma, sua empresa sai ganhando.

Posts recentes

plugins premium WordPress
× Fale com nossa equipe